Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O meu post de ontem, com que iniciei a escrita deste novo blog, deu origem a variados comentários, tanto aqui no blog como nas minhas páginas no facebook (https://www.facebook.com/Domingos.Amaral ou https://www.facebook.com/domingosfreitasdoamaral).

A todos os leitores agradeço os comentários, mesmo quando são abrasivos e duros.

E, perante algumas das questões colocadas, não quero deixar de tentar esclarecer os leitores. 

 

1 - A questão do IVA

Na simulação que ontem fiz, e onde referi que não tinha acesso a informação oficial sobre vários aspectos importantes, não considerei o IVA.

Vários leitores falaram nisso, lembrando que as contas podem alterar-se. 

A razão porque não o fiz tem a ver exactamente com o desconhecimento sobre os contratos entre a Benfica TV e os vários operadores envolvidos (MEO, Zon, etc). Não sei como serão partilhadas as receitas nem como será partilhado o custo do IVA entre as várias partes.

Também não sei se a Benfica TV terá direito a reembolsos de IVA, nem se fazendo parte da Benfica SAD, o IVA específico relativo à Benfica TV será englobado nas contas gerais da SAD ou não.

Por isso, não o considerei.

No entanto, é provável que uma parcela de IVA tenha de ser descontado às contas de receita líquida que apresentei, o que levará a que o número de assinantes necessários para atingir os objectivos na minha simulação tenha de subir um pouco. 

 

2 - A publicidade na Benfica TV

Alguns leitores defenderam que as receitas publicitárias que considerei, cerca de 10 por cento da receita total, eram um valor excessivo.

No entanto, a mim não me parece, pois apesar de tudo a Benfica TV terá muito bons jogos da Premier League para transmitir, além dos jogos em casa do Benfica, e isso pode possibilitar audiências grandes, gerando receitas publicitárias interessantes.

No entanto, também não sei se essas receitas terão de ser partilhadas com os operadores.

Mesmo assim, 10 por cento parece-me razoável, até pela questão de que falo no ponto seguinte.

 

3 - A publicidade estática durante os jogos

Vários leitores falam também deste assunto, mas mais uma vez é preciso alguma cautela.

Não tenho acesso aos contratos realizados entre Benfica e PPTV nos últimos anos para saber qual o valor da publicidade estática durante os jogos em casa, e nos relatórios de contas da Benfica SAD também não encontrei qualquer referência a este valor.

Se o valor da publicidade estática fazia parte do contrato anterior com a PPTV/Olivedesportos, então agora a publicidade estática passará a ser explorada pela Benfica TV, e portanto será uma receita da estação.

Porém, esse valor não deve ser muito elevado, pois estamos a falar de apenas 2 jogos por mês, durante 7 meses e meio.

Não me parece que seja uma receita muito relevante, e posso mesmo defender que esse valor está já incluído no valor de receitas publicitárias da Benfica TV, que estimei em 10 por cento da receita total. 

 

4- As plataformas no estrangeiro

Alguns leitores dizem que também não considerei as receitas da Benfica TV provenientes do estrangeiro, falando na Europa, na América e em África. 

É verdade, mas também aqui existe uma explicação razoável.

Julgo que os direitos da Premier League, comprados pela Benfica TV, não são extensivos ao estrangeiro, e apenas são válidos para território português, o que diminui o interessa da oferta da Benfica TV para outros territórios.

Assim, a estação fica limitada aos jogos na Luz, o que pode obrigá-la a cobrar uma mensalidade mais barata para esses territórios, diminuindo a receita total. 

Além disso, parece-me também que o número total de assinantes fora do território nacional não será muito grande, tal como também não o é na SportTV. 

Embora admita que exista uma receita adicional que não considerei, não julgo que ela venha a ser muito substancial.

 

5 - Diminuição dos direitos televisivos de FC Porto e Sporting

Um dos leitores afirma que o facto do Benfica ter terminado contrato com a Olivedesportos/PPTV levará a que as receitas televisivas de FC Porto e Sporting desçam, pois ambas estavam indexadas aos valores do contrato com o Benfica.

Julgo que não será assim.

Se o Benfica tivesse assinado contrato com a Olivedesportos/PPTV por um valor muito elevado, nesse caso é que o valor dos contratos com FC Porto e Sporting subiria, mas não havendo contrato com o Benfica não há lugar a descida de valores nos outros dois contratos.

Os valores recebidos por FC Porto e Sporting não são por isso directamente afectados pela existência da Benfica TV.

 

6 - Contas de merceeiros

Um dos leitores, mais abrasivo, acusa-me de fazer "contas de merceeiros" porque me enganei no valor da proposta feita pela Olivedesportos/PPTV, pois escrevi que ela foi no valor de 22,5 milhões de euros quando ela foi de 22,2 milhões de euros por ano.

O leitor tem razão, de facto cometi um pequeno lapso nesse valor, mas trata-se apenas de uma diferença de 300 mil euros por ano, o que dividindo por 12 meses e por uma assinatura de 9,9 euros, dá um número de assinantes de 2500.

Ou seja, na minha simulação, há um pequeno desvio, e em vez de se atingir um bom negócio nos 250.000 assinantes, atinge-se um bom negócio nos 247.500 assinantes...

Será um desvio assim tão relevante para me reduzir ao estatudo de "merceeiro"? 

 

7 - Conclusão final

Aquilo que ontem tentei fazer foi uma simulação, partindo de hipóteses que me pareceram razoáveis, e avisando que não tenho acesso a certa informação sobre o negócio que pode ser relevante (partilha de receitas com operadores, contratos publicitários, etc).

No entanto, apesar das limitações da simulação, e tendo de admitir que em certos casos (IVA, etc) poderá ser necessário fazer alguns acertos às minhas contas, julgo que os valores globais a que cheguei não andarão muito longe da realidade. 

A minha previsão mantém-se portanto: abaixo de 137 mil assinantes, é um mau negócio; entre 137 e 250 mil assinantes, é melhor do que existia antes; e acima de 250 mil assinantes é um bom negócio para o Benfica.

Mas, só o futuro dirá se isso se vai ou não verificar. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:34


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Joel Ferreira a 07.10.2013 às 15:35

Acabei de ler os seus posts acerca da viabilidade da Benfica TV e concordo com praticamente tudo aquilo que escreveu. Gostaria apenas de destacar o quinto ponto que fala sobre a diminuição dos direitos televisivos dos clubes rivais.

Fiquei extremamente surpreendido com a opinião dos seus leitores, porque a minha ideia que eu tinha era exatamente o oposto. Afirmou, e bem, que não será exatamente assim. FCPorto e Sporting (e outros clubes, não nos esqueçamos da Marítimo TV que já transmite jogos do Marítimo B e terá um lugar nos canais da MEO e quiçá noutras plataformas) poderão "ameaçar" a Olivedesportos/PPTV com projetos idênticos à Benfica TV.

Deste modo, os valores propostos pela empresa de Joaquim Oliveira terão que subir para não perder os jogos mais importantes da Liga ZON Sagres. Ou seja, não me surpreenderia se o FCPorto pedisse valores a rondar os 35-40 milhões por ano pelos próprios direitos televisivos. Recorde-se que o clube azul e branco ainda tem contrato com a Olivedesportos/PPTV até 2018 e só depois é que poderão existir mudanças nesse aspeto.

Comentar post



Sobre o autor

Domingos Amaral é professor de Economia dos Desportos (Sports Economics) na Universidade Católica Portuguesa. É também jornalista e escritor e tem o blog O Diário de Domingos Amaral.


Contacto

oeconomistadabola@gmail.com

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D