Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Portugal podia ter 3 treinadores na lista dos 30 mais bem pagos do mundo, mas com o despedimento de André Villas-Boas, agora só tem dois!

Mourinho é o 2ª mais bem pago do mundo, tendo este ano caído do primeiro lugar, destronado por Guardiola.

Já Jorge Jesus aparece em 11º lugar, tendo subido 3 lugares, pois o ano passado era o 14º mais bem pago.

Mourinho ganha 10 milhões de euros, Guardiola ganha 17, e Jesus está nos 4 milhões de euros brutos por ano!

 

A lista dos 11 melhores, compilada pela empresa brasileira Pluri Consultoria, está no final deste texto, mas mais interessante ainda é ver se o dinheiro investido pelos clubes está a ser bem empregue.

Para tal, vou aqui apresentar um indicador muito usado nas escolas de economia e gestão para analisar o desporto, que é a "percentagem de vitórias".

A percentagem de vitórias calcula-se dando 2 pontos a cada vitória e 1 a cada empate, e depois dividindo esse total pelo máximo que se podia obter nos jogos que já se efectuaram.

Assim, se um treinador ganhou 3 jogos, empatou 2 e perdeu 1, terá 6 pontos pelas vitórias (3x2), um ponto pelo empate (1x1), ou seja um total de 7 pontos em 12 possíveis (2x6 jogos) o que dá uma percentagem de vitórias de de 7/12, ou 58,3%.  

 

Qual é a percentagem de vitórias de cada um dos 11 treinadores mais bem pagos do mundo?

Vamos considerar apenas os jogos para os respectivos campeonatos e os jogos das competições europeias.

Comecemos por Guardiola, o primeiro do ranking, que ganha 17 milhões de euros brutos por ano.

Pepe realizou um total de 22 jogos, com 19 vitórias, 2 empates e 1 derrota.

Tem uma percentagem de vitórias de 90,9%, ou em números ((19x2) + (2x1))/(22x2).

Se fizermos contas semelhantes para José Mourinho, vemos que ele tem na Premier League 10 vitórias, 3 empates e 3 derrotas, e na Champions tem 4 vitórias e 2 derrotas.

Ou seja, fez os mesmos 22 jogos que Guardiola, mas tem 14 vitórias, 3 empates e 5 derrotas.

A percentagem de vitórias de Mourinho é pois de 70,4%, ou na fórmula ((14x2) + (3x1))/(22x2), o que é bem abaixo de Guardiola.

 

Agora, veja-se o quadro completo para os 11 treinadores mais bem pagos do mundo e as respectivas percentagens de vitórias:

 

Guardiola, Barcelona             17 m€       90,9%      19V, 2E, 1D

Mourinho, Chelsea                10 m€       70,4%      14V, 3E, 5D

M. Lippi, Guangzhou*             10 m€      88,3%      24V, 5E, 1D

Wenger, Arsenal                   8,2 m€      72,7%      15V, 2E, 5D

Capello, Rússia*                     7,8 m€      75%         7V, 1E, 2D

Ancelotti, Real Madrid           7,5 m€       84%        17V, 3E, 2D 

Moyes, Man. United              5,9 m€       63,6%     11V, 6E, 5D

Martino, Barcelona               5,4 m€       86,3%      18V, 2E, 2D

Klopp, B. Dortmund              4,3 m€      68,1%      14V, 2E, 6D

Pellegrini, Man. City              4,1 m€      72,7%      15V, 2E, 5D

Jesus, Benfica                       4 m€         73,6%     12V, 4E, 3D

 

 

Quais as conclusões que podemos retirar deste quadro?

A primeira é óbvia: Guardiola é o mais bem pago, e merece o que ganha, pois tem a mais alta percentagens de vitórias de todos, 90,9%!

 

A segunda também é óbvia: Mourinho está a ter uma época abaixo do que se esperava, e não está a merecer o que ganha!

Ganha 10 milhões, mas só tem uma percentagem de vitórias de 70,4%.

É o terceiro pior da lista, só ficando à frente de Moyes, que está nos 63,6%, e de Klopp, que está nos 68,1%, mas a verdade é que Moyes ganha quase metade de Mourinho, e Klopp menos de metade!

 

A terceira conclusão é: Lippi também merece o que ganha, foi campeão na China, e com uma percentagem de vitórias de 88,3%!

 

A quarta conclusão é: Wenger e Capello também merecem o que ganham, têm boas percentagens de vitórias!

 

A quinta conclusão é: Pellegrini devia ganhar mais no City!

Ganha apenas 4,1 milhões e consegue melhores resultados que Moyes e Mourinho, que ganham mais do que ele!

 

A sexta conclusão é: Martino também devia ganhar mais!

Tem a terceira melhor percentagem de vitórias da lista, com 86,3%, mas ganha menos que Ancelotti, que está nos 84%!

 

A sétima conclusão é: Jorge Jesus não está nada mal.

Apesar de ser apenas o 11º mais bem pago, tem cinco treinadores com percentagens de vitórias mais baixas do que ele: Moyes, Klopp, Mourinho, Wenger e Pellegrini.

Ora, se admitirmos que Lippi e Capello não devem ser metidos no mesmo saco, pois o campeonato da China e a seleção da Rússia não são do mesmo nível que os campeonatos europeus, chegamos à conclusão final:

Jorge Jesus é, dos 11 mais bem pagos do mundo, o quarto mais eficiente na Europa, apenas ultrapassado por Guardiola, Martino e Ancelotti!

 

É, sem dúvida, um bom resultado. No entanto, se o compararmos por exemplo com Diego Simeone, já perde algum brilho.

Simeone é o 26º treinador mais bem pago, ganha apenas 2,5 milhões de euros no Atlético de Madrid.

Porém, em 22 jogos, ganhou 19, empatou 2 e apenas perdeu 1 jogo! 

Simeone tem uma percentagem de vitórias de 90,9%, igual à de Guardiola, o que é espantoso, atendendo a que ganha quase 7 vezes menos!

Isso é que é dinheiro bem gasto!

 

 

* No caso de Marcelo Lippi, considerei os 30 jogos do campeonato chinês em 2013. No caso de Fábio Capello considerei os 10 jogos de qualificação para o Mundial 2014.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00

Terminada a fase de grupos das competições europeias, tanto na Champions como na Liga Europa, no ranking da UEFA o Benfica está neste momento em 7º  lugar, e o FC Porto está em 10º lugar.

Mesmo sabendo que a ambos os clubes - FC Porto e Benfica - esta fase não correu bem, tendo ambos descido para a Liga Europa, a verdade é que o Benfica somou 10 pontos na fase de grupos, enquanto o FC Porto só somou cinco, e por isso a variação de ambos no ranking foi em sentido inverso.

O Benfica subiu de 9º para 7º, e o FC Porto desceu de 8º para 11º.

 

Confira aqui o ranking dos 10 mais da UEFA em Dezembro de 2013:

1º Barcelona, 149685

2º Bayern de Munique, 145899

3º Real Madrid, 144685

4º Chelsea, 132464

5º Manchester United, 124464

6º Arsenal, 111464

7º Benfica, 110593

8º Atlético de Madrid, 104685

9º Valência, 100685

10º AC Milan, 97621 pontos

11º FC Porto, 96593

 

A título de curiosidades, diga-se que na fase de grupos da Champions, o FC Porto foi afastado por um clube que está abaixo dele no ranking da UEFA, o Zenit, que é o 20º.

Já o Benfica foi afastado por 2 clubes que estão abaixo, o Paris Saint Germain, que é o 17º do ranking, e o Olympiakos, que está em 26º lugar.

 

É igualmente importante notar que os próximos adversários de Benfica e FC Porto na Liga Europa, PAOK e Eintracht de Frankfurt, não estão nos primeiros 50 lugares do ranking da UEFA. 

O Paok está em 58º lugar, e o Eintracht de Frankfurt está em 78º!

Por fim, vale a pena lembrar que o Sporting, apesar de não ter participado este ano nas competições europeias, continua nos 50 primeiros, em 31º lugar, ainda assim à frente do Braga, que é o 38º. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:48

Já se esperava há umas semanas, mas desta vez foi mesmo! Depois de perder 0-5 em casa com o Liverpool, André Villas-Boas foi despedido de treinador do Tottenham.

A razão foi a do costume: os resultados estavam muito àquem do esperado pelo chairman do clube, Daniel Levy, e sobretudo havia duas humilhantes derrotas já este ano, uma por 6-0, contra o Manchester City, e a já referida goleada em casa, aplicada pelo Liverpool.

 

Esta é já a segunda má experiência que AVB tem em Inglaterra, e provavelmente ser-lhe-á fatal, golpeando a sua carreira prematuramente num dos melhores mercados de futebol do mundo.

Há dois anos, no final de uma espectacular época ao serviço do FC Porto, onde venceu quase tudo (Supertaça, Campeonato, Liga Europa e Taça de Portugal) AVB tinha sido contratado pelo Chelsea, seguindo as pisadas de José Mourinho, com quem trabalhou muitos anos.

Porém, as coisas nunca lhe correram bem e meses mais tarde Abrahamovic mostrar-lhe-ia a porta da rua, dando-lhe de caminho uma choruda indemnização.

Para quem pagara 15 milhões de euros aos FC Porto por um treinador, talvez tenha sido uma decisão muito precipitada.

O Chelsea de AVB não estava assim tão mal e o seu substituto, Roberto Di Mateo, acabaria por vencer a primeira Champions do clube em Maio.

Só que Abrahamovic não tem paciência, nem os adeptos tinham muita com AVB. Para mais, dizia-se dele que não tinha mão nas grandes estrelas, Lampard, Drogba e companhia.

 

Depois desse primeiro fiasco, muitos esperaram um regresso a Portugal, e chegou a falar-se que o seu adjunto Vítor Pereira iria à vida, regressando AVB.

Não seria assim. No final da época, o Tottenham aparecia, apostando no jovem treinador português.

Apesar de ter perdido Modric logo no início da época, AVB faria uma boa temporada, ficando à porta da Champions, em 5º lugar.

É verdade que muitas das vitórias dependeram de um génio chamado Bale, mas havia certamente também mérito de AVB.

Só que a vida de um treinador é cada vez mais imprevisível, e em Inglaterra, por exemplo, há cada vez mais despedimentos prematuros na Premier League.

 

Quais as razões para mais esta saída involuntária de AVB?

Em primeiro lugar, é óbvio, estão os maus resultados. As goleadas humilham e desmoralizam, além de tirarem pontos.

Com o sexto maior orçamento da Premier League, o Tottenham está em 7º classificado, com o mesmo número de pontos do 6º, o Newcastle, e à frente do Manchester United.

É sobretudo em casa que as coisas têm corrido mal, com 3 derrotas em 8 jogos.

Os sócios protestam, o ambiente degradou-se, e quando é assim é certo e seguro que o primeiro a partir é o treinador.

Mas, há quem diga que o plantel foi mal construído, que houve divergências entre AVB e Daniel Levy, e que este não contratou os jogadores pedidos pelo treinador.

 

É uma explicação habitual, que protege o treinador, mas a verdade é que o investimento foi considerável, e talvez as expectativas tenham subido demais.

Sem qualquer título conquistado, e apesar de uma boa carreira na Liga Europa, AVB ficou à merce dos resultados, e a goleada do Liverpool foi-lhe fatal.

De qualquer forma, em termos de percentagens de vitórias, AVB não ia nada mal.

Com 44 vitórias, 20 empates e 16 derrotas em 80 jogos, a sua percentagem de vitórias era de 67,5% e é o segundo melhor treinador de sempre do Tottenham, apenas abaixo de Frank Brettell, que tem uma percentagem de 68,2%, mas obtida em 1898! 

É certo que não entra na lista dos 10 melhores de sempre da Premier League, onde Mourinho ainda lidera, com 81,3% de percentagem de vitórias, mas não se pode dizer que estes fossem maus resultados.

AVB sai, não porque tenha maus resultados gerais, mas porque teve maus resultados específicos que humilharam o clube, as já referidas goleadas.

 

 

E como será o futuro próximo de AVB?

Para já, a única vantagem para o treinador português é a choruda indemnização que irá receber. Fala-se em 9 milhões de euros.

AVB é, neste momento, um homem rico. De insucesso em insucesso, a sua conta bancária tem crescido exponencialmente. 

Regressará ele ao FC Porto, à sua cadeira de sonho? É possível.

A carreira de Paulo Fonseca nos dragões tem sido irregular, e depois de um bom princípio a equipa desceu muito de qualidade, teve uma Champions muito fraca e perdeu a liderança do campeonato.

Pinto da Costa não costuma mudar de treinador, as últimas duas vezes que o fez deram maus resultados, e não foi campeão.

Mas, se Paulo Fonseca perder na Luz, e ficar ainda mais para trás no campeonato, não me admirava que AVB o substituísse.

Não poderia ganhar os 4,5 milhões de euros que o Tottenham lhe pagava, mas ganharia mais que Paulo Fonseca e daria uma alegria aos sócios dragões, que o adoram.

A acontecer alguma coisa, deverá ser em Janeiro.

É um dos meses do ano em que há sempre muitos despedimentos no futebol internacional!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:28

Como aqui escrevi logo depois da segunda jornada da Champions, este ano FC Porto e Benfica não têm andamento para a maior competição europeia.

Após as derrotas contra o Atlético de Madrid, no Dragão, e contra o PSG, em Paris, pareceu-me que ambas as equipas só podiam aspirar à Liga Europa.

Como se viu ontem, e na terça, assim foi. 

 

Apesar de tudo, o Benfica portou-se bem melhor do que o FC Porto, pois conseguiu fazer 10 pontos, o que é muito na Champions, e é pena que não dê para seguir em frente.

Foi sobretudo o jogo com o Olympiakos em casa, no meio de grande chuvada, que estragou tudo. Tivesse o Benfica vencido esse jogo e outro galo cantaria, mas a verdade é que não venceu.

De qualquer forma, dos 8 clubes que caiem para a liga Europa, o Benfica foi o segundo melhor, só ultrapassado pelo Nápoles, que mesmo fazendo 12 pontos não conseguiu seguir em frente.

Atrás do Benfica, e a caminho da Liga Europa, estão Shaktar, Basileia e Ajax, com 8 pontos na fase de grupos da Champions, Juventus, com 6; FC Porto, com 5 pontos, e Victoria Pilzen, com apenas 3 pontos.

 

Como se vê, para o FC Porto foi um ano muito mau na Champions. 

Apenas uma vitória, em Viena, dois empates, em São Petersburgo e em casa com o Áustria, e 3 derrotas, duas das quais em casa.

Julgo que é o pior ano de sempre dos azuis e brancos na Champions, e só a vitória na primeira jornada, na Áustria, lhes garantiu a Liga Europa, pois acabaram por ficar com os mesmos pontos que o último classificado, o Áustria.

Longe vão os tempos em que o presidente Pinto da Costa e o capitão da equipa, Lucho, diziam que tinham um forte desejo de jogar a final na Luz.

Na realidade, essas frases, tal como os desejos de Vieira e Jesus, eram puro delírio, e mais valia não terem sido proferidas pois agora soam a um atroz ridículo.

 

E quanto a dinheiro, como foram as coisas?

O Benfica já embolsou 12,3 milhões de euros, sendo que 8,6 milhões são o prémio de presença, 3 milhões são pelas 3 vitórias; meio milhão é pelo empate; e há ainda 200 mil euros pela passagem à Liga Europa.

Quanto ao FC Porto, o valor é um pouco menor, apenas 10,8 milhões de euros. São 8,6 milhões pela presença, 1 milhão pela única vitória, 1 milhão pelos 2 empates, e mais 200 mil euros pela passagem à Liga Europa.   

 

Para ambos os clubes, sobretudo para o FC Porto, é um pouco abaixo do que tinham estimado, pois ambos estavam a contar com mais 3,5 milhões do prémio por ir aos oitavos de final, que não veio.

Mas, ambos têm possibilidade de recuperar estes valores na Liga Europa, sobretudo se chegarem à final.

Chegar à final da Liga Europa é muito semelhante a ir aos quartos de final da Champions, e melhor do que ficar pelos oitavos.

O ano passado, o Benfica faturou 21,7 milhões em prémios totais da UEFA (incluindo fase de grupos da Champions e ida até à final da Liga Europa em Amesterdão), apenas um pouco menos do que no anterior, em que facturou 22,37 milhões e chegou aos quartos de final da Champions, sendo eliminado pelo Chelsea.

 

Portanto, se FC Porto e Benfica se empenharem, e conseguirem ir até à final da Liga Europa, o rombo financeiro será muito pequeno.

É isso possível?

Há equipas fortes, além das que caiem da Champions, onde estão Nápoles, Juventus, Ajax ou Shaktar. 

O Valência, a Lazio, o Tottenham, o Sevilha, são equipas difíceis, mas penso que tanto Benfica como FC Porto estão no lote dos favoritos.

Veremos como as coisas correm, e como será o sorteio. 

Mas, seja como for, é evidente que a Liga Europa é que é competição mais adequada para os clubes portugueses.

A Champions não é para o nosso dente.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:05

Domingos Soares Oliveira deu uma entrevista à Benfica TV, onde garantiu que, logo no primeiro ano de funcionamento, a Benfica TV vai trazer para os cofres do clube mais do que os 22,2 milhões de euros que a Olivedesportos propôs o ano passado ao Benfica.

Além disso, acrescentou que a Benfica TV, em velocidade de cruzeiro, poderá chegar a uma receita anual de 40 milhões de euros por ano, o que é muito superior ao que a Olivedesportos oferecia.

 

Fazem estes números sentido?

Em primeiro lugar, é preciso dizer que os 40 milhões de euros referidos pelo director financeiro são uma receita total, e não uma receita líquida. A esse valor é necessário deduzir alguns custos, e só depois é que devemos comparar o valor com os 22 milhões da Olivedesportos, pois esses eram uma receita líquida, sem custos.

Ora, Domingos Soares de Oliveira declarou, numa outra ocasião, que os custos da Benfica TV andariam à volta de 9 milhões de euros.

Nesse caso, a receita líquida da Benfica TV, em velocidade de cruzeiro, seria de 40-9, ou seja 31 milhões, o que é muito melhor que a Olivedesportos ofereceu.

 

E qual o número de assinantes necessário para chegar a este valor?

Na entrevista de ontem, Domingos Soares de Oliveira diz que a Benfica TV espera chegar ao Natal com 300 mil assinantes, o que seria fantástico, e um enorme sucesso, e transformaria a Benfica TV num excelente negócio para o clube.

 

Ao ler esta entrevista, fiquei contente. A previsão que eu fiz, há uns meses atrás, foi exactamente essa.

Quem leia este blog, poderá ir rever o que aqui escrevi, e era precisamente o número de 300 mil assinantes que eu dizia ser o número mágico que faria a Benfica TV um excelente negócio, e melhor do que a proposta da Olivedesportos.

 

Muitos me criticaram, dizendo que eu não percebia do que estava a falar, mas pelos vistos eu tinha razão.

Mesmo não conhecendo os detalhes do negócio (quanto se ia facturar em publicidade, ou qual era a forma de partilhar receitas ou IVA com as operadoras), a verdade é que desde Setembro que eu venho dizendo que a partir dos 250 mil assinantes a Benfica TV é um negócio muito bom e com 300 mil assinantes é muito melhor que a última oferta da Olivedesportos.

Enquanto uns falavam em 450 mil assinantes (como Rui Santos, e outros), eu sempre disse que entre os 250 mil e os 300 mil era bom negócio. 

 

Fico agradado com isso, é prova que os meus cálculos económicos são razoáveis. 

Contudo, tenho de reconhecer que a Benfica TV me surpreendeu pela positiva.

Eu não esperava resultados tão bons logo no primeiro ano, e ainda por cima em época de recessão na economia.

A única consequência desagradável da Benfica TV é a queda de espectadores na Luz, mas esperemos que isso melhore nos próximos tempos. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:02

Portugal teve sorte no sorteio, havia grupos bem piores.

Como passam 2 em cada grupo, é provável que Alemanha e Portugal sigam em frente, pois nem os Estados Unidos nem o Gana têm valor para fazer frente às duas seleções europeias.

O Gana, por exemplo, tem uma seleção avaliada em 84,3 milhões de euros (soma do valor dos jogadores normalmente selecionados) e está apenas em 22º lugar, na lista dos 32 países participantes.

E os Estados Unidos ainda são menos cotados. Segundo a Pluri Consultoria, empresa brasileira que avaliou o valor das seleções, os Estados Unidos apenas valem 51,3 milhões de euros, estando ainda mais abaixo que o Gana, em 26º na lista.

Já a Alemanha, todos o sabemos, é uma grande equipa, e todos os dirigentes da Federação disseram que a queriam evitar.

Não será assim, e teremos que jogar com a 4ª seleção mais valiosa do mundo, com um valor de mercado de 465,5 milhões de euros.

É um bom bocado mais forte que Portugal, em valor económico.

A nossa seleção vale 309,6 milhões de euros, e é a 9ª da lista, mas é preciso recordar que desse total, só 100 milhões dizem respeito a Ronaldo, por isso temos de ter muito cuidado. 

 

De qualquer forma, há grupos mais difíceis, em especial o grupo D, onde estão 3 tubarões: Uruguai, Itália e Inglaterra. 

Tem a 7ª seleção, a Itália, que vale 315,8 milhões de euros; a 8ª, que é a Inglaterra, que vale 312 milhões de euros, e ainda a 11ª seleção, o Uruguai, com um valor de mercado de 185,2 milhões de euros.

Por ironia do destino, estes três grandes vão jogar com a Costa Rica, que é a seleção menos valiosa entre as 32, com um valor de 20,8 milhões de euros!

 

Veja aqui a lista do valor de mercado das 32 seleções, segundo a Pluri Consultoria:

 

1º Brasil, 508,7 milhões de euros

2º Espanha, 504

3º Argentina, 475,2

4º Alemanha, 465,5

5º França, 373,4

6º Bélgica, 319,6

7º Itália, 315,8

8º Inglaterra, 312

9º Portugal, 309,6

10º Colômbia, 218,6

11º Uruguai, 185,2

12º Rússia, 169

13º Croácia, 162,9

14º Holanda, 161,6

15º Chile, 135,4

16º Costa do Marfim, 129,1

17º Suíça, 124,1

18º Camarões, 122,7

19º Bósnia, 121

20º Japão, 105,8

21º Nigéria, 89,5

22º Gana, 84,3

23º Equador, 69,2

24º Grécia, 64,7

25º Argélia, 63

26º Estados Unidos, 51,3

27º México, 47,1

28º Coreia do Sul, 46,1

29º Honduras, 24,3

30º Austrália, 23,6

31º Irão, 21,9

32º Costa Rica, 20,8

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:19

Quem são os 20 jogadores mais valiosos que vão estar presentes no Mundial de 2014?

A empresa brasileira Pluri Consultoria fez uma avaliação e listou os 20 jogadores mais valiosos, com base no seu atual valor de mercado.

A lista, que apresento a seguir, inclui o nosso Cristiano Ronaldo, que é o segundo mais valioso do mundo, com um valor de mercado de 104,2 milhões de euros, logo atrás de Messi, que vale 139,6 milhões de euros. 

O valor total dos 20 mais valiosos ultrapassa os mil milhões de euros, mas estes 20 jogadores serão apenas 3% do total de jogadores que vai disputar o Mundial, cerca de 732. 

Dos 20 jogadores, 12 são europeus e 8 são sul-americanos. Há jogadores de 12 nacionalidades, sendo que existem 7 países europeus representados nesta lista e 5 países sul-americanos.

A Espanha lidera, com 4 jogadores no top 20 (Iniesta, Mata, Busquets e Fabregas), com um valor total de 185 milhões; seguida da Argentina, com 2 jogadores no top 20 com um valor total de 183 milhões (Messi e Aguero); e da Alemanha, com 3 jogadores no top 20, com um valor somado de 149 milhões (Ozil, Goetze e Muller).

Quanto aos clubes onde actuam, note-se que os 20 jogadores mais valiosos do mundo jogam todos em clubes europeus! O Barcelona tem 5 jogadores no top 20, e a seguir vem o Bayern, que tem 3 no top 20. 

Para terminar, um pormenor curioso: dos 20 jogadores mais valiosos do mundo, apenas 2 não vão estar no Mundial 2014. São eles Gareth Bale, galês, que está em terceiro nos mais valiosos, e o polaco Lewandowski, que é o 19º mais valioso do mundo.

 

Lista dos 20 mais valiosos jogadores que estarão no Mundial do Brasil em 2014 (se Deus quiser e nenhum se lesionar!)

 

1º - Messi, Argentina, Barcelona, 139,6 milhões de euros

2º - Ronaldo, Portugal, Real Madrid, 104,2

3º - Neymar, Brasil, Barcelona, 67,4

4º - Cavani, Uruguai, Paris St. Germain, 63

5º - Falcão, Colômbia, Monaco, 59,1

6º - Ozil, Alemanha, Arsenal, 54

7º - Iniesta, Espanha, Barcelona, 53,7

8º - Goetze, Alemanha, Bayern, 48,4

9º - Rooney, Inglaterra, M. United, 48,2

10º- Ribéry, França, Bayern, 46,8

11º- Muller, Alemanha, Bayern, 46,6

12º- Hulk, Brasil, Zenit, 46,2

13º- Mata, Espanha, Chelsea, 46,1

14º- Suarez, Uruguai, Liverpool, 44,8

15º- Hazard, Bélgica, Chelsea, 44,3

16º- Aguero, Argentina, M. City, 43,7

17º- Busquets, Espanha, Barcelona, 43,2

18º- Fabregas, Espanha, Barcelona, 41,9

19º- Vidal, Chile, Juventus, 41,7

20º- Van Persie, Holanda, M. United, 40,3 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30

É evidente que Platini tem razão, quando diz que a FIFA estendeu o prazo de votação para a Bola de Ouro para beneficiar Ronaldo. 

Todos nós, no próprio dia, percebemos isso.

Ainda por cima depois da fabulosa exibição de Ronaldo contra a Suécia, a notícia de que o prazo ia ser estendido parecia vir mesmo encomendada para possibilitar a vitória de Ronaldo.

Como português, fiquei contente, pois quero muito que Ronaldo vença o prémio, e considero que ele é neste momento o melhor do mundo.

Porém, pareceu-me evidente que Blatter estava a tomar esta decisão para emendar a mão depois da imbecilidade que fez.

Quando Blatter gozou Ronaldo, não esperava os efeitos que essa ação provocou.

O mundo do futebol ficou indignado, e não foram só os portugueses.

Para mais, como sempre parece acontecer quando é hostilizado, Ronaldo ainda se motivou mais, e jogou como nunca.

As graçolas de Blatter fizeram ricochete, e ele viu-se na obrigação de pedir desculpa, e de tentar começar a amaciar a sua relação com Ronaldo, fazendo-lhe grandes elogios públicos.

Mas, a mão não estava ainda emendada. Portanto, Blatter viu na possibilidade criada pelas grandes exibições de Cristiano uma oportunidade, e decidiu esticar o prazo da votação para o prémio.

Assim, quase certamente Cristiano ganhará, e assim Blatter poderá mostrar que não valem nada as graçolas, o que conta são os prémios.

Foi isso que Platini quis dizer, e tem razão.

Mas, como portugueses, que nos importa isso? Por nós, encantados da vida. Desde que o Ronaldo ganhe! 

O prémio é que sai um pouco chamuscado destas polémicas...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:23

Nos campeonatos de futebol, quem paga mais, ganha mais.

A regra de ouro é essa: quem mais gasta em despesa salarial (vencimentos e prémios), é normalmente campeão nacional.

É assim em Espanha, em França, em Itália, na Alemanha, muitas vezes em Inglaterra e é assim também em Portugal.

E quem é o clube que neste momento tem uma maior despesa salarial em Portugal?

Acertaram, é o Benfica! 

Segundo os relatórios de contas dos três grandes, divulgados ontem na CMVM, a despesa salarial do primeiro trimestre (Julho, Agosto e Setembro) é a seguinte*:

 

Benfica - cerca de 13 milhões de euros em salários de jogadores e treinadores

FC Porto - cerca de 10 milhões de euros em salários de jogadores e treinadores

Sporting - cerca de 7 milhões de euros em salários de jogadores e treinadores 

 

Se fizermos uma extrapolação destes valores para a despesa anual, veremos que o Benfica no final do ano deverá ter gasto em salários cerca de 52 milhões de euros (4 x 13), o FC Porto andará pelos 40 milhões (4 x 10) e o Sporting deverá ficar-se pelos 28 milhões de euros (4 x 7), o que sendo menos, não são tostões, como ontem disse com demagogia Inácio!

Assim sendo, a minha previsão é clara: este ano o Benfica é o mais forte candidato ao título, e provavelmente será campeão, pois tem os melhores jogadores, os mais bem pagos e motivados para vencer.

 

A despesa salarial é um bom indicador, não só da qualidade dos jogadores (se os jogadores são melhores isso reflete-se no seu salário); mas também da motivação dos jogadores (se são mais bem pagos têm maior incentivo para vencer).

Por isso, se não houver nenhum facto extraordinário, o clube que melhor paga é normalmente campeão.

Para quem não acredita, aqui fica uma prova importante: nos últimos 12 campeonatos em Portugal, essa regra verificou-se em 10 anos!

Em 10 casos num total de 12, foi campeão o clube que tinha a despesa salarial mais elevada.

Foi assim com o FC Porto, em 9 desses casos, nas épocas que terminaram em 2003 e 2004 (com Mourinho), na época de 2006 (com Co Adrianse), nas épocas de 2007, 2008 e 2009 (com Jesualdo); na época de 2011 (com Villas-Boas) e nas duas últimas épocas, 2012 e 2013 (com Vitor Pereira).

Mas também foi assim com o Benfica em 2010, na primeira época de Jorge Jesus, em que o clube teve a despesa salarial mais elevada, e foi por isso campeão.

 

Há excepções a esta regra?

Sim, há. Em Portugal e nos últimos 12 anos, há duas excepções.

Em 2002 e 2005, o FC Porto apesar de ser a equipa com maior despesa salarial, não foi campeão. Em 2002 foi o Sporting, e em 2005 foi o Benfica.

E o que se passou nesses dois casos? Em ambos o FC Porto cometeu o erro de despedir o treinador a meio da época, e não foi campeão.

Em 2002 despediu Octávio, e em 2005 despediu primeiro Del Neri e depois Fernandez, terminando com Couceiro.

Ou seja, a instabilidade no banco do FC Porto prejudicou a equipa, e o clube não foi campeão.

Assim, podemos dizer que se houver instabilidade no banco, é provável que a regra dos salários já não se verifique.

O despedimento de um treinador causa sempre perda à equipa, e pode retirar-lhe a possibilidade de ser campeão.

 

Portanto, e em resumo, as minhas previsões para a época 2013-2014 são as seguintes:

- O Benfica é este ano o mais forte candidato ao título, e deverá ser campeão, a não ser que haja qualquer calamidade imprevisível.

- O FC Porto deverá ser segundo, mas se despedir Paulo Fonseca pode arriscar-se a ficar em terceiro.

- O Sporting deverá ser terceiro, a não ser que o FC Porto mude de treinador, caso em que o Sporting pode ser segundo.


* Lendo os relatórios com atenção são estes os números da despesa salarial com jogadores e treinadores, diferentes e menores que a despesa salarial consolidada das SADs, que inclui outros items. No caso do Benfica, por exemplo, é necessário retirar as despesas salariais com outras empresas do clube, como a Benfica TV. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:31


Sobre o autor

Domingos Amaral é professor de Economia dos Desportos (Sports Economics) na Universidade Católica Portuguesa. É também jornalista e escritor e tem o blog O Diário de Domingos Amaral.


Contacto

oeconomistadabola@gmail.com

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D