Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Mais vale um clube português ir à final da Liga Europa, do que ser humilhado na Champions.

É essa a ideia que tenho defendido nos últimos anos, e o desastre do FC Porto em Munique só me veio dar mais razão. 

Foi um verdadeiro massacre, e mostrou a todo o país a abissal diferença que existe entre um grande clube europeu, o Bayern, e um grande clube português, o FC Porto.

 

Nos últimos cinco anos, o Bayern esteve por 4 vezes nas meias-finais, e lá estará mais uma vez este ano.

Ora o FC Porto, andou muitos anos arredado destas andanças, só este ano foi aos quartos-de-final, e viu-se o genocídio que foi.

Aos 21 minutos, os azuis e brancos estavam eliminados, e aos 45 humilhados por 5-0.

Obviamente a vitória por 3-1 no Dragão iludiu muitos.

Com o Bayern, 3-1 não é nada.

Só este ano, em casa já espetaram 7-0 no Shaktar, e 6-1 no FC Porto...

 

Mas, a Champions é desenhada a pensar em clubes com o Bayern e os grandes espanhóis e ingleses.

Na antiga Taça dos Campeões Europeus, chegavam às finais com relativa frequência clubes holandeses, portugueses, jugoslavos, escoceses ou romenos.

Até gregos, belgas e suecos foram pelo menos a uma final.

Com a Champions, népia!

Desde que está em vigor o actual formato, só chegaram à final espanhóis, ingleses, alemães e italianos.

A única excepção foram o FC Porto e o Mónaco, em 2004, um ano atípico.

 

A Champions é pois para tubarões.

E mesmo para esses, é difícil.

Veja-se que, nas últimas cinco épocas, o Manchester United só esteve uma vez numa semi-final, e mesmo o Chelsea só esteve em duas meias-finais.

Os grandes da Champions, nos últimos cinco anos, são três clubes, com 4 presenças nas meias-finais: Bayern, Real Madrid e Barcelona.

E este ano dois já lá estão outra vez, veremos hoje se o Real também os acompanha.

 

É por isso que, por mais espectaculares que os jogos sejam, eu não consigo gostar da Champions. 

No passado, a Taça dos Campeões Europeus era muito mais emocionante, para muitos povos europeus.

A Champions é um longo bocejo.

Quando, de cinco em cinco anos, um clube português chega aos quartos-de-final, é melhor a gente esconder-se, pois pode haver uma cabazada das antigas, como vimos ontem.

 

Antes ir à Liga Europa.

Ao menos aí podemos chegar às finais, como fizeram FC Porto, Braga e Benfica (por duas vezes).

A Liga Europa é que é a nossa praia, a Champions é doutra galáxia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:17


Sobre o autor

Domingos Amaral é professor de Economia dos Desportos (Sports Economics) na Universidade Católica Portuguesa. É também jornalista e escritor e tem o blog O Diário de Domingos Amaral.


Contacto

oeconomistadabola@gmail.com

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D