Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O regresso do Sporting às boas exibições, que leva as pessoas ao estádio, é um importante sinal.

Nos últimos três anos, devido às más épocas da equipa, o Sporting nunca conseguiu facturar muito nas bilheteiras.

Em 2010-2011, conseguiu 10,6 milhões de euros no total; em 2011-2012, chegou aos 11,4; mas no ano passado deverá ter caído para a casa do 7 milhões, e isto já a contar com as quotizações*. 

Longe, muito longe do Benfica, que desde que Jesus chegou ao clube, factura 30 milhões no seu estádio.

Mesmo assim, com exibições decepcionantes, o Sporting não andou muito longe do FC Porto, que em 2010-2011 e 2011-2012 conseguiu 11,6 milhões de euros; e no ano passado também desceu muito, não devendo chegar aos 8 milhões de euros. 

E isto em 3 épocas em que o FC Porto foi campeão e o Sporting era confrangedor.



A verdade é que o potencial de receitas no estádio do Sporting parece superior ao do FC Porto.

O Sporting tem mais sócios e simpatizantes, e eles têm capacidades económicas elevadas.

Repare-se que, mesmo numa década em que o Sporting não foi campeão, existiram pelo menos 3 anos em que facturou mais no seu estádio que os azuis no Dragão.

Em 2004-2005, o Sporting chegou aos 15, 6 milhões de euros, enquanto o FC Porto, que teve um ano atípico, um pós-Mourinho conturbado, se ficou pelos 13,4 milhões de euros.

A história voltou a repetir-se mais duas vezes.

Em 2007-2008, o Sporting treinado por Paulo Bento, atingiu a sua mais alta faturação de sempre no estádio, chegando aos 16,4 milhões, e o FC Porto de Jesualdo não conseguiu melhor que 14,5 milhões, apesar de ter sido campeão.

Em 2009-2010, o Sporting voltou a ultrapassar o FC Porto em receitas de bilheteiras, obtendo 12,8 milhões de euros contra os 12,3 dos azuis.

E isto apesar do Benfica ter sido campeão, e do Sporting ter ficado em 4º lugar, atrás do FC Porto, que foi 3º.

 

Assim, parece-me um excelente sinal para o Sporting que o ano esteja a começar com grandes casas, como contra o Arouca e sobretudo contra o Benfica.

Se a equipa continuar a manter a bitola alta deste início de campeonato, é possível o Sporting quase dobrar a sua receita em Alvalade, em relação ao ano passado, mesmo sem jogos europeus.

Com Alvalade cheia, um importante passo para a recuperação financeira do clube está a ser dado.

Um estádio eufórico e lotado gera muita receita, e muita receita equilibra as contas e permite abater a dívida.

É assim, e com boas vendas de jogadores (de que falarei num próximo post), que se recupera o clube.

 

* Os números citados são retirados dos relatórios de contas dos clubes.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:16



Sobre o autor

Domingos Amaral é professor de Economia dos Desportos (Sports Economics) na Universidade Católica Portuguesa. É também jornalista e escritor e tem o blog O Diário de Domingos Amaral.


Contacto

oeconomistadabola@gmail.com

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D