Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ontem, soube-se que o maior milionário chinês, o senhor Wang Jianlin, vai comprar em breve cerca de 20% do Atlético de Madrid.

A parceria já vinha começando de há uns anos para cá, e o milionário chinês, com 59 anos e fanático por futebol, decidiu aprofundá-la.

JianLin é dono do Wanda Group, tem uma fortuna avaliada em cerca de 16,2 mil milhões de euros, e no seu país é um dos principais patrocinadores da liga nacional.  

Agora, quer avançar em força para a Europa, e o Atlético de Madrid será a sua aposta.

 

Com as novas regras do "fair play" financeiro da UEFA, e com a eminente proibição dos fundos que compram jogadores, é fundamental que os clubes europeus atraiam investidores e novos accionistas.

O dinheiro terá de entrar pela compra de acções das SAD´s, que terão de abrir o seu capital a quem deseja investir, mas já não o pode fazer pela via dos jogadores, como os fundos faziam.

 

Em Inglaterra, ou em França, a compra dos clubes de futebol é já um hábito. O mesmo se passa na América, onde no basquetebol, no futebol americano, no basebal ou mesmo no soccer, os clubes desportivos são propriedade de milionários ou grandes empresas, como a Disney ou a Fox.

 

No entanto, no Sul da Europa, os milionários exóticos ainda são mal vistos, e os sócios dos clubes desejam continuar a mandar. É esse o caso do Barcelona, do Real, e por cá dos três grandes. Ninguém ainda se aventurou em mares navegados por milionários.

 

Contudo, esta compra de 20% do Atlético de Madrid pelo chinês JianLin é um raio de esperança. Talvez seja isto que os clubes portugueses necessitam. Um sócio não maioritário, mas milionário, que invista neles.

 

Peter Lim, o milionário que parece estar com sérias dificuldades de comprar o Valência, devia olhar para o Benfica, por exemplo. O Benfica tem receitas maiores que o Valência, está bem à frente do Valência no ranking da UEFA, e vende jogadores muito melhor que o Valência.

 

Não seria mais lucrativo para Peter Lim apostar no Benfica, e não no Valência, num cenário semelhante ao do Atlético de Madrid? Comprar 20% parece aceitável, e as relações com Vieira são boas.

Julgo que situações destas vão ter de acontecer, mais tarde ou mais cedo, no futebol português.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:05


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Paulo Teixeira a 14.10.2014 às 15:28

Caro Domingos,

Neste post "estacionei" jutamente aqui : »O Benfica tem receitas maiores que o Valência, está bem à frente do Valência no ranking da UEFA, e vende jogadores muito melhor que o Valência», e pergunto estará assim tão convicto de tal afirmação?

Ranking UEFA? Bom, Jesus pretenderá propositadamente ou não cair no 3º lugar da Champions? Para posteriormente ser repescado para a Liga Europa? Primeiro para alimentar na II Divião da Europa esse Ranking que é uma falácia, segundo vem provar que aquele Benfica da década de 60, é apenas uma ilusão, e que tem sido justamente alimentado pela Máquina de Propaganda do Benfica, porque esse outrora Grande Benfica, hoje não existe. Afinal Jesus entrelinhas, também afirmou que o "Marquês" não iria transbordar tanto com a conquista de uma Champions, como com a conquista de um Campeonato. Ou não estará Jesus em sintonia com a politica desportiva do Benfica, ou repito, o Benfica Europeu é passado, bolorento e a preto e branco, tal como o Estado Novo!

Depois, se o Palmarés Internacional é um barómetro de prestigio, observo o Valência, e constato que conquistou 2 Taças das Cidades com Feiras na década de 60, 1 T Taças em 1980, 1 L Europa em 2004, 2 Supertaças Europeias (1980 e 2004), e a menos mediática T Intertoto em 1988, isto é, o Valencia conquistou 7 T Internacionais, 5 delas nos ultimos 34 anos, 1 L Europa e 1 Supertaça Europeia neste século, terá o Benfica melhor Palmarés Internacional para ser assim tão apetecível? Será por ser o Campeão Europeu de Finais Europeias perdidas? Ou por ter sido Bi-Campeão Europeu, quando nós nem cá moravamos?

Depois achei curiosa a afirmação : "O Benfica vende jogadores muito melhor que o Valência", isto é, este Benfica não pretende conquistar títulos, pretende vencer outros "Campeonatos", aliás, Jesus quando recentemente avaliou Talisca afirmou: "O Talisca será mais um que irá valer muitos M€..." não, não afirmou que iria ganhar títulos, mas que traria um extraordinário encaixe financeiro. E eu pergunto, aquele outro Benfica das décadas de 60/70 já foi extinto?
Imagem de perfil

De Odisseia na Internet a 19.10.2014 às 02:05

Seria bom que esses novos investidores com muito dinheiro comprassem clubes portugueses médios, para que estes lutassem com os três grandes pelo título.

Comentar post



Sobre o autor

Domingos Amaral é professor de Economia dos Desportos (Sports Economics) na Universidade Católica Portuguesa. É também jornalista e escritor e tem o blog O Diário de Domingos Amaral.


Contacto

oeconomistadabola@gmail.com

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D