Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Há menos de um ano, Paulo Fonseca era o melhor jovem treinador de todos os tempos!

Em Maio, levara o Paços de Ferreira a um histórico 3º lugar no campeonato, e só perdera jogos contra Benfica e FC Porto.

Embora nunca tivesse ganho nada, nem na segunda liga nem taças, a carreira do Paços foi excelente, classificando-se o clube para o "play off" da Champions, e deixando o Braga a cheirar-lhe as canelas.

As pessoas examinavam os resultados do Paços e pasmavam.

Como era possível fazer tantos pontos, com tão pouco?

O valor do plantel do Paços era baixo, bem como a despesa salarial, mas a eficiência era elevadíssima.

Atingir uma impressionante percentagem de vitórias de 66,6% era um feito que só podia ser explicado, obviamente, pelo extraordinário talento de um jovem treinador, Paulo Fonseca, que ainda por cima parecia simpático, bem educado e "cool".

 

Era assim há 9 meses, apenas 9 meses, e Paulo Fonseca lá rumou ao Dragão para um bom contrato, e...o resto é história.

Relembro isto apenas para mostrar como é fácil construir mitos e fantasias sobre os treinadores.

No final da época passada, é bom recordar, o FC Porto despediu um treinador que lhe dera 2 campeonatos e 2 Supertaças.

Ninguém sabe bem porque partiu Vítor Pereira, mas talvez valha a pena fazer essa pergunta.

O que levou o FC Porto a trocar um treinador vencedor por uma jovem promessa? 

Não sei, mas sei que o fez, e quando o fez todos esqueceram rapidamente os méritos de Vítor Pereira, que eram muitos, e desataram a descobrir méritos em Paulo Fonseca, exagerando-os.

Era mais um jovem Midas, era evidente que ia resultar.

Pois...

 

E porque não resultou Paulo Fonseca no FC Porto? 

É evidente que terá cometido muitos erros, mas também é muito evidente que a qualidade deste plantel do FC Porto é bem menor.

Onde estão os génios como Hulk, Falcão, James Rodriguez, João Moutinho?

Não estão lá, e os que lá estão não têm o mesmo talento.

Quintero não vale um pé de James, e Quaresma não vale uma coxa de Hulk, e nem sequer vale a pena comparar Moutinho com aqueles rapazes que vagueiam pelo meio-campo...

Poderia Paulo Fonseca ter feito melhor?

Talvez sim, talvez não, mas duvido que conseguisse o que os seus antecessores conseguiram.

 

E é por isso que eu acho que Marco Silva devia refletir bem antes de dar um passo maior que a perna.

Tal como Paulo Fonseca o ano passado, este ano também todos os bem pensantes da bola consideram Marco Silva a melhor pepita de ouro do Oeste.

No entanto, e embora Marco Silva conte no currículo um título de campeão da segunda divisão com o Estoril, a verdade é que os seus resultados são...piores que os de Paulo Fonseca.

O ano passado, ficou em 5º com um plantel semelhante ao do Paços, que ficou em terceiro; e este ano está em 4º.

A sua percentagem de vitórias é de 53,3% na época passada, e de 66,6% este ano (tem 11 vitórias e 6 empates em 21 jogos).

Ou seja, nem no ano passado nem neste, Marco Silva foi melhor que o Paulo Fonseca do Paços.

 

E quais serão os jogadores que Marco Silva poderá contar na próxima temporada?

Se for para ficar com os mesmos que Paulo Fonseca, e se calhar sem Jackson, Fernando e Mangala, que têm muito mercado, o que poderá Marco Silva fazer?

O FC Porto precisa muito de se reforçar, a ainda muito mais se esses três jogadores saírem.

A qualidade dos recursos à disposição de Marco Silva terá de ser bem melhor.

Caso contrário, é muito elevado o risco do Dragão trucidar mais um "jovem treinador talentoso". 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:47

Eusébio nasceu em Janeiro, Ronaldo em Fevereiro, tal como Chalana e Futre.

Platini, Messi e Zidane, por seu lado, nasceram os três em Junho.

O que têm eles em comum? Nasceram todos no primeiro semestre, entre Janeiro e Junho.

Quer isto dizer que há mais probabilidade de se ser um bom jogador de futebol se nascermos no primeiro semestre do ano?

Pelos vistos, é assim.

As crianças nascidas na primeira parte do ano são mais avançadas nos primeiros anos da vida, o que aumenta a sua possibilidade de serem escolhidos pelos olheiros nas escolas de futebol.

Aos sete ou oito anos, e por vezes até mais tarde, aos 13 ou 14, os nascidos no primeiro semestre são mais altos, mais fortes, mais desenvolvidos, e isso aumenta as suas hipóteses.

 

É evidente que esta regra geral tem muitas excepções (Pelé nasceu em Outubro, Figo em Novembro), mas a verdade é que há mais jogadores nascidos no primeiro semestre do que no segundo.

Examinemos por exemplo as 16 equipas do campeonato português, pegando nos plantéis iniciais tal como aparecem nos Cadernos A Bola para a época 2013/2104.

12 equipas têm mais jogadores nascidos no primeiro semestre do que no segundo.

Eis a lista, seguida da percentagem de jogadores nascidos entre Janeiro e Junho:

 

Benfica - 68% dos jogadores nascidos no primeiro semestre

Nacional - 65,2%

Marítimo - 65,2%

Rio Ave - 62,5%

V. Setúbal - 62,5%

Arouca - 62,5%

Olhanense - 61,9%

Sporting - 60%

Paços de Ferreira - 59%

Estoril - 52%

V. Guimarães - 52%

FC Porto - 52%

 

Além destes, temos o Belenenses, que tem 50% de jogadores nascidos em cada parte do ano, e apenas 3 equipas que têm menos jogadores nascidos no primeiro do que no segundo semestre, que são o Gil Vicente (48% nascidos entre Janeiro e Junho); o Braga (45,8%); e por fim a Académica (43%).

Portanto, se o seu filho nasceu no primeiro semestre do ano, tem mais possibilidades de vir a ser um jogador de futebol, mas se nasceu no segundo, pode sempre ir tentar a sua sorte para Coimbra!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:38

Qual a probabilidade do Benfica vencer o FC Porto no domingo, na Luz?

Para responder a esta pergunta, podemos olhar para o histórico geral de todos os campeonatos nacionais, que dá vantagem ao Benfica, ou para o histórico da última década, que dá uma ligeira vantagem ao FC Porto.

Ou, em alternativa, podemos consultar um índice europeu mais sofisticado.

 

O site Euro Club Index organiza um ranking estatístico da performance dos clubes, seja para as ligas nacionais, seja para as competições europeias. 

Esse ranking é alimentado pelos resultados dos jogos todas as semanas.

Cada clube tem um determinado número de pontos (o seu valor ECI), que mostra a força desportiva relativa do clube, num determinado momento no tempo, e também o desenvolvimento dessa força relativa ao longo do tempo.

 

Neste momento, o FC Porto é o 14º classificado do ranking europeu, com um valor ECI de 3209, e o Benfica está logo atrás, em 15º, com um valor ECI de 3202.

Além de calcular o valor ECI em cada momento, o site faz também previsões sobre jogos e sobre possíveis vencedores das ligas europeias.

Para isso, leva em consideração o histórico dos clubes em cada competição, e é por isso que para a Liga Europa, por exemplo, o Benfica aparece como o 3º candidato mais forte.

Em primeiro lugar está a Juventus, com 19,6% de probabilidade de vencer a liga Europa, seguida pelo Tottenham, com 13,2% de probabilidade, e do Benfica, que tem 10,3% de probabilidade de vencer a competição.

Logo atrás do clube encarnado está o FC Porto, com 9% de probabilidade, e o quinto classificado é o Shakhtar Donetsk, com 8%.

 

E para o jogo da Luz, há alguma perspectiva que o ECI nos dê?

Sim, há. Para calcular as probabilidades para um determinado jogo, o site leva em consideração o valor do índice ECI, o factor casa, e ainda as probabilidades normais de um jogo de futebol.

Dessa forma, as probabilidades que o site apresenta para o jogo Benfica-FC Porto são as seguintes:

43% de probabilidade de vitória do Benfica

30% de probabilidade de empate

27% de probabilidade de vitória do FC Porto. 

 

Portanto, e apesar do Benfica ser favorito, porque joga em casa e porque tem um valor ECI muito semelhante ao do FC Porto, a verdade é que as possibilidades de uma vitória azul e branca são elevadas.

Não se esperava aliás outra coisa: nas últimas quatro épocas, na Luz o Benfica só venceu uma vez, em 2010, empatando no ano passado, e perdendo duas vezes, contra Villas-Boas e contra Vítor Pereira no seu primeiro ano como treinador.

 

Já agora, e para não nos ficarmos apenas por aqui, quais as probabilidades para o jogo Estoril-Sporting?

O Sporting está em 54º lugar no ranking ECI, e o Estoril em 190º lugar.

Para o ECI, há 22% de probabilidades de uma vitória caseira do Estoril, 29% de probabilidade de dar empate, e 49% de probabilidade do clube de Alvalade vencer fora de casa.

Esta última é uma probabilidade alta, mais alta do que a do Benfica vencer o FC Porto na Luz, por isso não seria motivo de admiração que o Sporting acabasse a primeira volta à frente do campeonato.

Mas Marco Silva, treinador do Estoril, já provou que sabe o que faz, por isso esse jogo vai ser entusiasmente de certeza.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00

Há uns meses atrás, Jorge Jesus estava nas ruas da amargura.

Tinha perdido o campeonato, e ajoelhado no estádio do Dragão, impotente para travar o FC Porto.

Tinha chorado no Jamor, por ter perdido a Taça contra o Guimarães.

E, ainda por cima, tinha sido enxovalhado por Cardozo, mostrando que não tinha mão nos jogadores.

Em suma, era um "looser", um homem a quem ninguém dava futuro.

Porém, de repente, à medida que o Benfica tem vindo a melhorar e a ganhar jogos, Jesus tem sido transformado num perigosíssimo manipulador de árbitros, e num arruaceiro que falta ao respeito à polícia!

Quem tenha ouvido o treinador do FC Porto, Paulo Fonseca, que defendeu que os empates de FC Porto e Sporting se deveram a erros de arbitragem que só existiram devido à maliciosa "estratégia de Jorge Jesus", não terá dúvidas.

Para Paulo Fonseca, Jesus é Deus, pois é omnipotente, consegue mandar em todos (nos árbitros e até na polícia); e omnipresente, conseguindo ganhar em três campos ao mesmo tempo: Alvalade, Amoreira e Guimarães.

Mas, há mais. Mal se viram as imagens de uma confusão no relvado de Guimarães, lá vieram muitos acusar Jesus de ter "agredido" a polícia! Crime, berram eles! Castigo e já, berram eles! 

Acho que devíamos ter um pouco mais de lucidez, pois transformar Jesus num exterminador implacável que ainda por cima dá "tau-tau" na polícia, é um manifesto exagero.

A situação em Guimarães descontrolou-se, é verdade, e Jesus cometeu actos incorrectos, mas houve mais coisas que correram mal.

Primeiro, a segurança falhou, deixando entrar adeptos para dentro do campo.

Segundo, na entrada dos adeptos não havia qualquer intenção violenta ou maligna. Eram apenas jovens eufóricos com a vitória, que queriam pedir as camisolas dos seus ídolos, os jogadores do Benfica.

Por isso, e em terceiro lugar, parece-me que a avaliação que a polícia e a segurança fizeram da gravidade da situação foi exagerada.

Não me parece necessário usar tanta força contra dois ou três rapazes que só querem abraçar os seus jogadores.

Acho que houve algum excesso de zelo da polícia, talvez não fossem necessários cinco matulões para neutralizar um jovem, nem talvez fosse necessário colocar joelhos nas costas ou dobrar braços.

Em quarto lugar, acho que Jorge Jesus teve uma reação semelhante aquela que muitos de nós temos quando vemos excesso de força da polícia sobre alguém. Normalmente, isso incomoda as pessoas, que tentam pedir à polícia para não ser tão dura.

Jesus deu mais um passo, e fez aquilo que muitos fazem quando há uma briga: tentou separar os intervenientes.

Tal como os professores tentam separar os alunos à bulha no recreio, ou como os amigos tentam separar alguém numa rixa de bar, nessa tentativa há que fazer algum esforço físico, e isso passou-se também com Jorge Jesus.

Foi incorreto? Sim, foi, pois não se deve fazer isso quando uma das partes é um agente da autoridade.

Contudo, não me parece que tenha existido qualquer agressão, ou tentativa de agressão. O que houve foi excesso de empolgamento na tentativa de separação.

É claro que é compreensível a excitação acusatória em que ficaram os adversários do Benfica. Se o castigo a Jesus neutralizar o treinador do Benfica algum tempo, isso é um bónus excelente para os adversários do Benfica.

Mas, também não vale a pena exagerar. Uma incorreção que devia ter sido evitada, não é o mesmo que uma agressão.

Quanto à "manipulação de árbitros" de que fala o treinador do FC Porto, é mais do mesmo.

Em Portugal, quem perde pontos, arranja sempre teorias da conspiração para justificar os seus fracassos.

Porém, talvez devessemos dar mérito a quem o teve. O Estoril fez um belo jogo, causou imensos problemas ao FC Porto e mereceu empatar.

O futebol é bem mais simples do que as pessoas pensam.

Quem joga bem, normalmente é recompensado, e isso passou-se com o Estoril, e já agora, com o Rio Ave, que também jogou bastante bem em Alvalade.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:45


Sobre o autor

Domingos Amaral é professor de Economia dos Desportos (Sports Economics) na Universidade Católica Portuguesa. É também jornalista e escritor e tem o blog O Diário de Domingos Amaral.


Contacto

oeconomistadabola@gmail.com

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D